Artigos

Entrevista com o mestre Tilico

Tkdlivre.com - Você é considerado um Técnico com fama de formar grandes atletas a partir da faixa branca. Como é feito este trabalho?

Ms. Tilico: É preciso haver um casamento entre o professor e o aluno ou o técnico e o atleta. O Técnico tem de estar sempre presente e procurar fazer sempre algo mais. Gosto de trabalhar a base e ir moldando o futuro atleta, resgatando o que ele tem de melhor e acrescentando o necessário. É necessária dedicação mútua e integral de ambas as partes.

Tkdlivre.com - Em que momento dá para perceber que aquele aluno vai se destacar?

Ms. Tilico: É quando começamos a perceber o grau de comprometimento do atleta. O melhor momento é na primeira luta e depois como ele vai agregar ou lidar com os resultados. Com o tempo o atleta poderá se desiludir, mas cada estágio é um novo momento. E se a pergunta for: Até onde o atleta poderá ir? Isto depende do sonho de cada atleta.

Tkdlivre.com - Quais foram os atletas que você viu iniciando e que hoje são destaques nacionais?

Ms. Tilico: O Washington, Gabriel Nucce, Fernando Tavares, Valdir Valério, Ana Valter, Glauber Barbosa, entre outros.

Tkdlivre.com - Com esta dança de atletas procurando melhores condições de trabalho, como fica a motivação de Mestres com o seu perfil, que formam novos campeões, sabendo que eles podem cair fora a qualquer momento?

Ms. Tilico: É natural e inevitável ficarmos chateados quando o Atleta vai embora, mas temos que conviver com isto. Mas vai depender da postura e de como nos relacionamos com este atleta. O Atleta de alto nível tem de pagar para treinar, e o Treinador de alto nível tem de receber pelo seu trabalho. É essa relação profissional que vai ajudar a conviver com essas situações.

Tkdlivre.com - Após as Olimpíadas você passou a desenvolver um trabalho (além do Diogo) também com a Natalia Falavigna. Como isso se deu?

Ms. Tilico: Fizemos um trabalho durante uns 9 meses, depois a atleta entendeu que era hora de partir.

Tkdlivre.com - Que motivos levaram atletas como Natalia e Diogo a deixarem de treinar com você?

Ms. Tilico: Foram convidados para irem para Londrina, e por conta da remuneração e eu não tinha muito a oferecer, devem ter tomado uma decisão financeira.

Tkdlivre.com - Você faz parte do grupo de técnicos da EOP?

Ms. Tilico: Não.

Tkdlivre.com – Por que?

Ms. Tilico: Depois das Olimpíadas, não fui mais aproveitado. Ninguém me deu qualquer satisfação e nem explicação.

Tkdlivre.com - O que você acha do trabalho do atual Grupo Técnico junto a EOP?

Ms. Tilico: Acho que estão se esforçando para melhorar. O Brasil precisa de mais intercâmbio. É preciso mais para ser uma equipe profissional. Precisamos parar de brincar de competir. Falta ainda um pouco para sermos considerado o Top, ou seja: falta tempo e dinheiro.

Tkdlivre.com - Como você pensaria o trabalho da EOP, tendo em vista um país grande como o nosso; com atletas de regiões tão distantes umas das outras?

Ms. Tilico: Falta uma reestruturação nacional. Mais seminários, novas técnicas e etc. Tudo isto requer dinheiro e planejamento. Estive dando curso no Nordeste, pouco tempo atrás, e encontrei atletas com potencial, mas falta muita coisa ainda. Até hoje não foi formada uma equipe mais harmoniosa, visto que fatores políticos têm interferido nas questões ou decisões técnicas.

Tkdlivre.com - Diga algo que você gostaria de expressar ao leitor do site ou à comunidade taekwondista.

Ms. Tilico: Em primeiro agradecer o reconhecimento pelo meu trabalho e por ter sido reconhecido como um dos melhores técnicos de TKD do Brasil. E dizer que continuo fazendo o meu trabalho e me colocando sempre à disposição daqueles que precisarem de mim.